10.6.16

nova lua

A nova Lua, escandalosamente nova e nua, deitada aqui no madrugante chão azul deste meu quarto, crescente, me pede um copo dágua. Antes, dou-lhe uma frase que me ocorre agora: Quero colocar os meus anseios no teu peito, meu amor. Então levanto-me, abro a janela da Vida — e vejo que já é sexta-feira outra vez... Que delícia!