12.12.12

no jardim da minha mae

Vejo nesta manhã duas borboletas azuis dançando no quintal da minha mãe. Que tem um gramado enorme, verdejante, uma horta de cenouras, um jardim de Epicuro. Cebolinhas, araçás, um pé de limão rosa, uma parreira produzindo. Os pessegueiros em flor me lembram Kurosawa em seus sonhos amarelos. Galinhas cacarejam no terreno do vizinho. E eu fico tomando café numa xícara de cabo quebrado e divagando, deliciosamente, ao lado de um vasinho de gerânios. Afinal, alguém tem que viver...