2.5.12

felicidade

Para os filósofos cínicos, a felicidade não é algo passageiro: uma vez alcançada, nunca mais a perdemos. A princípio, parece um absurdo, mas é uma teoria bastante sustentável. Digo isso, e concordo plenamente, porque aconteceu comigo! Sou a prova viva de que isso é possível. Meu conceito de felicidade — já por mim alcançada — é ser bem-aventurado. É ter um corpo saudável, completo domínio dos estados de espírito, e liberdade total. Muita alegria, muito bom humor e gostosura transbordante, além de amores incontáveis. Ausência de pressa, de ciúmes e ódio, ausência de medo, inveja e vergonha. Completa ausência de apego. Basicamente isso.

Estou escrevendo algo mais a respeito, que depois publicarei no meu livro The Master of Jesus.


Agora que já resolvi a questão da felicidade — verei o que mais Deus me reservou.